Observador Quem quer boleia ponha o dedo no ar! – Observador

  • Chegada da
  • ,
  • fazer a apresentação do
  • Concluída a viagem, despeço-me do Martim.
  • ,
  • [MDGB2]
  • Tal como anunciado, a
  • chega ao ponto de encontro
  • ,
  • apresentar o
  • .
  • ,
  • fazer

Observador Taxa de Proteção Civil. Primeiras reações à decisão do TC – Observador

  • Em atualização
  • 19/12/2017, 16:13

Observador Administrador do Urban detido depois de festa privada. Paulo Dâmaso nega – Observador

  • ,
  • Papagaio
  • restauranteKais
  • Papagaio"
  • após
  • cujo vídeo foi tornado
  • Papagayo
  • A utilização de parte deste restaurante teve a duração máxima de 90 minutos.
  • restaurante Kais
  • Papagayo"
  • Quando a PSP se deslocou ao local, já a refeição tinha terminado e as pessoas estavam a regressar ao Kais Restaurant. Foi nesse momento que a PSP interpelou um administrador do Grupo K, que se prontificou de imediato a deslocar-se à esquadra para prestar todos os esclarecimentos necessários", informou o Grupo K em comunicado mais tarde.
  • Grupo K defende que "as notícias divulgadas por suposta fonte da PSP carecem de qualquer sentido " e clarifica que "a discoteca Urban Beach ainda não abriu as suas portas, encontrando-se na fase final do processo de fiscalizações e vistorias por parte das entidades competentes e necessárias à sua reabertura", pode ainda ler-se no comunicado. O
  • na seuqência
  • filmadas e tornadas

Observador CTT vão cortar 800 postos de trabalho e fechar lojas com pouca procura – Observador

  • .
  • . Debate sobre nacionalização "nem por sombras está encerrado" O PCP vê no plano operacional dos CTT conhecido esta terça-feira "uma nova vaga da mesma ofensiva" que a administração da empresa já revelou no passado recente, quando tentou avançar com a rescisão de contratos com centenas de trabalhadores. Ao Observador, o deputado Bruno Dias garante que, para o PCP – que na semana passada viu chumbada, com os votos do PS, uma proposta de nacionalização dos CTT –, "esta discussão nem por sombras está encerrada" . E pede uma "resposta política dos restantes órgãos de soberania". Bruno Dias recorda que, há um ano, foi a própria ANACOM quem denunciou "o incumprimento e as violações do serviço público dos CTT". O plano operacional agora divulgado é "mais uma prova" do projeto que a administração tem para a empresa. Tudo isto, a degradação da qualidade do serviço, a destruição de postos de trabalho, a continuação da política de encerramento de serviços e o ataque brutal aos direitos dos trabalhadores" revela uma posição relativamente ao serviço público "como algo que, claramente, não é prioritário, mais parece obstáculo", diz Bruno Dias. Chumbado o projeto de resolução do PCP que defendia a renacionalização (também o BE e o PEV apresentaram diplomas nesse sentido), o deputado garante que o assunto "não está encerrado". Mas "a luta" passa agora para outras mãos. "Neste momento, o mais mais importante e premente, e isto não é apenas uma consideração simbólica, é as pessoas deste país que estão preocupadas com a importância do serviço público postal, assumirem uma postura de grande solidariedade e valorização pela luta dos trabalhadores da empresa que estão a defender os seus direitos mas, desde logo, o interesse nacional e público". Como? Assinando o abaixo-assinado que defende a nacionalização. Ao mesmo tempo, o PCP pede, ainda que sem concretizar destinatários, uma "resposta política do Governo e dos restantes órgãos de soberania relativamente a este processo" .
  • Atualizado
  • 19/12/2017, 17:30

Observador Cyril Ramaphosa ganha corrida para suceder a Jacob Zuma – Observador

  • Em atualização
  • . Em atualização
  • 18/12/2017, 17:05
  • .