Observador Câmara de Lisboa. Avenças em gabinetes do PS chegam a aumentar 80% – Observador

  • Paulo Saraiva
  • Pedro Costa

Jornal de Negócios O regresso da cerâmica portuguesa - Weekend - Jornal de Negócios

  • Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE Saiba mais
  • criaçã) Assinatura Digital
  • Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE Análise
  • informação independente
  • rigorosa
  • Para saber
  • se passa em Portugal
  • no mundo
  • nas empresas
  • nos mercados e
  • economia
  • Inclui acesso ao ePaper
  • versão
  • Negócios tal como é impresso
  • papel
  • Veja aqui . Acesso ilimitado a todo
  • site negocios.pt Acesso ilimitado via apps iPad
  • iPhone
  • Android e Windows Saiba mais Notícias só para Assinantes Com as histórias da edição impressa Com as histórias da edição impressa Se já é Assinante
  • faça
  • seu login Exclusivos
  • análise
  • informação independente
  • credível
  • Para saber
  • passa em Portugal
  • no mundo
  • nas empresas
  • nos mercados e na economia
  • Inclui acesso
  • versão ePaper
  • Mais
  • forma
  • ler as histórias da edição impressa
  • Negócios
  • Se ainda não
  • Assinante Saiba
  • Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE Análise, informação independente e rigorosa. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui . Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows Saiba mais
  • criação em barro popularmente conhecida como Bonecos de Estremoz
  • A distinção dada pela UNESCO é a de Património Cultural Imaterial da Humanidade e contempla, oficialmente, a "Produção de Figurado em Barro de Estremoz"
  • à semelhança do que já tinha feito com o cante alentejano
  • com os chocalhos
  • Em termos simples, a atribuição faz com que a produção referida deixe de ser apenas trabalho de barro, como era conhecido pela maioria das pessoas, para passar a ser
  • já deveria ser há muito tempo, um património cultural com história
  • uma arte de enorme valor. Com efeito, a arte tem mais de 300 anos e assenta
  • fundamentalmente
  • criação de figuras em barro, individuais ou em conjunto, segundo uma técnica ancestral
  • A catalogação das figuras mais padronizadas permitiu chegar, até agora, a mais de cem "bonecos", e no trabalho estão ainda envolvidos alguns artesãos de Estremoz
  • sendo as mais conhecidas as Irmãs Flores. Os próximos tempos serão decisivos para dar sentido
  • esta distinção. Antes
  • mais, será necessário conseguir a certificação dos artesãos e das suas peças, porque não irá demorar muito até que surjam falsificações, concebidas
  • série de Espanha à China
  • Depois, será necessário conseguir que
  • património imaterial tenha um futuro
  • isto é
  • que surjam novos artesãos
  • que não será nada fácil. Ao mesmo tempo que Estremoz consegue um novo patamar
  • outras regiões fortes e tradicionais da arte do barro português
  • como São Pedro do Corval
  • Bisalhães, continuam ainda num patamar demasiado baixo
  • No entanto, para os lados de Bisalhães,
  • centro da carismática olaria preta portuguesa, surgiu recentemente uma boa notícia. Estamos a falar do projecto Bisarro, www.bisarro.pt, criado por uma equipa de jovens oleiros,
  • não só trabalha com este barro tradicional, como recupera objectos utilitários que há muito não
  • encontravam. É um projecto que merece toda a atenção
  • apoio. Finalmente
  • em Lisboa
  • também se trabalha para a cerâmica portuguesa
  • O mais discreto, mas porventura um dos mais dinâmicos, museu dinamizado pela Câmara Municipal de Lisboa, o Bordalo Pinheiro, abriu agora a primeira grande antológica dedicada
  • cerâmica do mestre Rafael Bordalo Pinheiro
  • É
  • mostra de luxo, estrutural, assente no notável espólio reunido pelos curadores, que assenta em 150 das mais icónicas peças de faiança de Bordalo Pinheiro, bem como num núcleo de azulejos. O que a mostra permite assimilar, entre outros traços, são os cruzamentos
  • referências de Bordalo Pinheiro, bem como o seu permanente jogo irónico com a sociedade portuguesa
  • seu tempo
  • No entanto, acima de tudo, a descoberta maior da exposição
  • como Bordalo Pinheiro vinca o material a uma ideia criativa desmesurada, conseguindo objectos e figuras que só ele conseguiu criar. Nota ao leitor: Os bens culturais, também classificados como bens de paixão, deixaram de ser um investimento de elite, e a designação inclui hoje uma panóplia gigantesca de temas, que vão dos
  • tradicionais, como a arte ou os automóveis clássicos, a outros totalmente contemporâneos, como são os têxteis, o mobiliário de design ou a moda. Ao mesmo tempo, os bens culturais são activos acessíveis e disputados em mercados globais extremamente competitivos. Semanalmente, o Negócios irá revelar algumas das histórias fascinantes relacionadas com estes mercados, partilhando assim, de forma independente, a informação mais preciosa.

Correio da Manhã Bloco de apartamentos arde no centro de Manchester - Mundo - Correio da Manhã

  • está a arder
  • lavra
  • ardeu tarde deste sábado
  • , que começou
  • piso, destruiu vários nos apartamentos a partir do nono
  • ,
  • Os bombeiros de Manchester anunciaram que a situação estava controlada por volta das 18h00 locais, a mesma hora em Portugal.
  • várias

Visão Visão | Diogo Freitas do Amaral: "PCP e Bloco já conseguiram de mais"

  • Entre Santana Lopes e Rui Rio? São diferentes.

Correio da Manhã Ano de 2017 é o segundo mais quente dos últimos 86 anos - Cm ao Minuto - Correio da Manhã

Ano de 2017 é o segundo ano mais quente dos últimos 86 anos - Cm ao Minuto - Correio da Manhã

  • Ano de
  • ano
  • Temperatura média foi 1.1 graus superior ao valor normal. Mais calor só em 1931.
  • . Também este ano, a temperatura máxima, cerca de mais 2.4 graus superior ao valor normal, será a mais alta desde 1931, ultrapassando em cerca de um grau o anterior máximo (1997). O IPMA destaca os valores de temperatura máxima e média do ar persistentemente acima do normal ao longo do ano, em especial nos meses de abril, maio, junho e outubro. O balanço climático preliminar indica também que o ano de 2017 foi "extremamente seco" e estará entre os quatro mais secos desde 1931, tendo todos ocorrido depois de 2000. Segundo o IPMA, o valor médio de precipitação total anual será cerca de 60% do normal. "O período de abril a dezembro, com anomalias mensais de precipitação persistentemente negativas, será o mais seco dos últimos 87 anos", lê-se no documento disponível na página da internet daquele organismo. O IPMA sublinha igualmente que dezembro será o nono mês consecutivo com valores de precipitação mensal inferiores ao normal e, em 2017, apenas nos meses de fevereiro e março a precipitação foi superior ao normal. O mesmo documento nota que, ao longo deste ano, a conjugação da persistência de valores de precipitação muito inferiores ao normal e de valores de temperatura muito acima do normal, em particular da temperatura máxima, teve como consequência "a ocorrência de valores altos de evapotranspiração e valores significativos de défice de humidade do solo". A 27 de dezembro, apesar dos valores de água no solo terem aumentado em relação ao final de novembro, são ainda inferiores a 40% nas regiões do interior centro e do sul do país, adianta o balanço, frisando, que no final de dezembro mantém-se a situação de seca meteorológica ainda que, em relação à situação a 30 de novembro, se tenha verificado uma diminuição da intensidade nas regiões do norte e centro. O IPMA precisa que nas regiões do interior centro e do sul os valores de precipitação foram muito inferiores ao normal e insuficientes para se verificar um efetivo desagravamento da intensidade da seca. De acordo com o índice meteorológico de seca -- PDSI, em dezembro verificou-se, relativamente a 30 de novembro, um desagravamento da intensidade da seca meteorológica, com cerca de 60% do território (regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela) nas classes de seca severa e extrema, refere ainda o documento