Jornal de Notícias O passado como fantasma no Teatro São João

  • Ricardo Jorge Fonseca

Jornal de Notícias Casal encontrado morto em Castro Marim

  • Corpos retirados
  • após perícias policiais
  • Os
  • do
  • esta quarta-feira cerca das
  • ,
  • popular numa zona de mato de Castro Marim, distrito de Faro. O homem
  • estão encostados
  • ao outro, com ferimentos na cabeça e aparentam ser jovens. A mulher tinha debaixo
  • seu
  • um peluche
  • segundo apurou o JN
  • também
  • Tanto
  • como a mulher usam calçado apropriado a caminhadas. Segundo populares ouvidos
  • zona
  • não há registo
  • casais desaparecidos
  • região
  • Os corpos foram removidos do local, cerca das 15 horas
  • Estavam junto à estrada
  • num riacho que engrossou bastante
  • as chuvas recentes
  • dificultou o trabalho da
  • dos bombeiros. Foi preciso construir
  • talude
  • madeira
  • Polícia Judiciária e respetiva equipa forense procederem ao trabalho
  • recolha de vestígios
  • Polícia Judiciária tomou conta da investigação. Uma equipa forense da
  • ao local
  • por volta das 14 horas
  • ainda no
  • proceder
  • perícias
  • Estavam deitados, encostados um ao outro
  • debaixo de uma estrada junto a um ribeiro. O homem tinha um ferimento de bala na cabeça e a mulher um urso de peluche dentro do casaco
  • Foi assim que os
  • de um
  • , de nacionalidade alemã,
  • em Vale Frio, Castro Marim. Moravam em Olhão e estavam desaparecidos há mais de um mês. A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar. A possibilidade de um pacto de morte não está descartada. A descoberta macabra foi feita às
  • morador que fazia uma caminhada
  • alertou a GNR. Os militares chegaram pouco tempo depois. Estranharam que
  • tivesse
  • urso de peluche dentro
  • junto ao peito
  • pequena
  • azul com as alças presas a uma das pernas
  • Um olhar mais atento acabaria por revelar o ferimento que
  • tinha
  • cabeça e que terá sido provocado por uma bala
  • disparada por uma pequena arma
  • fabrico artesanal, semelhante a uma "caneta-pistola". O engenho estava cravado
  • cabeça
  • A mulher não tinha ferimentos visíveis
  • Ambos estavam em avançado estado de decomposição
  • vestidos e
  • calçado de caminhada. Todo este cenário levantou a hipótese de crime
  • levou a GNR a acionar a
  • a estabelecer
  • perímetro
  • segurança, ao mesmo tempo que os militares faziam buscas nas imediações
  • descartar
  • possibilidade
  • haver uma criança
  • Desaparecidos há um mês
  • , numa altura em que o caudal do ribeiro corria com alguma intensidade. Foi necessário recorrer à ajuda dos bombeiros de Vila Real de Santo António para travar a corrente do lado oposto
  • evitar que os corpos fossem arrastados. Só depois foi possível dar início às peritagens. Através dos documentos de identificação que as vítimas tinham consigo
  • a PJ começou a deslindar o mistério. Os inspetores de Faro perceberam que o casal, residente em Moncarapacho, no concelho de Olhão
  • dado como desaparecido há um mês, quando a mulher, Ursula, de 48 anos, telefonou à mãe pela última vez. A PJ desconhece há quanto tempo estavam naquele
  • onde acredita terem ocorrido as mortes. Por apurar está também
  • forma como percorreram os cerca de 50 quilómetros que separaram a residência, em Olhão, e
  • zona onde foram encontrados. O cenário mais provável é o de homicídio seguido de suícidio, mas não está descartada a hipótese de ambos terem decidido pôr termo à vida. Os corpos serão autopsiados no Gabinete Médico-Legal de Faro

Jornal de Notícias Motas terão inspeção obrigatória a partir de outubro

  • Ler
  • na versão e-paper ou
  • edição impressa
  • O responsável pelo setor explicou que os centros de inspeção tiveram de fazer investimentos para poder acolher as inspeções a motos "correspondentes a aproximadamente 29% da sua faturação anual", para repartirem um mercado de cerca de 80 mil motos, quando todos os centros fazem cerca de 5,7 milhões de inspeções anuais e faturam 170 milhões de euros. Ou seja, o que está previsto é que a inspeção a motos seja obrigatória apenas para aquelas que tenham uma cilindrada superior a 250 cm3, (cerca de 80 mil em todo o país), e o que pretende a ANCIA é que sejam abrangidos todos os motociclos e ciclomotores, abarcando assim cilindradas a partir dos 50 cm3, em que se prevê que estejam a circular no país
  • de um milhão deste tipo de veículos. Paulo Areal defende que a obrigatoriedade para as motas com menor cilindrada é até mais urgente do que para as de maior potência porque, segundo os dados estatísticos, são as primeiras que mais estão envolvidas em acidentes, muitos deles mortais (ver infografia). "Sem grande explicação, vamos avançar com uma gama que não cobre o universo de todos os veículos de duas rodas, nem aqueles que mais estão sujeitos a acidentes", observou, acrescentando que a associação tem a reivindicar que todas as cilindradas sejam abrangidas, "aliás, a exemplo daquilo que acontece nos Açores, onde desde 2004 se realizam inspeções aos motociclos". Em termos percentuais, morre-se muito mais por acidentes devido aos veículos de duas rodas do que aos de quatro, sustenta Paulo Areal, acrescentando que "por cada 100 acidentes com mortes, há três vezes mais a probabilidade de morte quando existe uma intervenção de um motociclo". O presidente da ANCIA revela que há um estudo da Comissão Europeia que diz que "cerca de 8% dos acidentes de veículos de duas rodas estão relacionados com falhas técnicas", apesar de o problema principal ter a ver com o condutor em si. "Há uma faixa de veículos que circulam
  • via pública que não estão sujeitos a qualquer controlo. O primeiro grande objetivo é trazer esses veículos para os centros de inspeção".